Lupion comemora obras de modernização da usina Termelétrica de Figueira

O deputado Estadual Pedro Lupion (DEM) acompanhou, no último dia 9, o governador Beto Richa no lançamento da pedra fundamental das obras de modernização da Usina Termelétrica Carvão Mineral de Figueira, orçada em R$ 118 milhões (o valor inicial era de R$ 104 milhões, mas somou-se um aditivo de R$ 14 milhões).

Pedro Lupion é o idealizador da recuperação da Usina que, em 2013, ameaçava encerrar as atividades devido às condições precárias de funcionamento. Caso a usina fechasse, centenas funcionários ficariam desempregados, além de causar um grave desiquilíbrio na economia do município.

Na tentativa de reverter o quadro caótico que se apontava, Lupion e o prefeito de Figueira, Valdir Garcia (PP) se reuniram, algumas vezes, com o governador Beto Richa para enfatizaram a importância da intermediação dele junto à Companhia Paranaense de Energia (COPEl), proprietária da Usina.

Ambos ressaltaram que um possível fechamento da mineradora seria extremamente prejudicial à sustentabilidade econômica de Figueira e região. “A redução na geração de riquezas no mercado de trabalho e consequentemente, na economia local causariam um grande impacto negativo na região. Em hipótese alguma a usina pode fechar”, argumentou, na ocasião, o parlamentar.

Na época, o prefeito explicou que a mineradora gerava centenas de empregos diretos e impulsionava a economia da cidade. “Se a usina for desativada, o município todo vai sentir as consequências, a população e a prefeitura vão arcar com os efeitos negativos de forma drástica”, colocou o prefeito.

O deputado estadual contou que a usina, fundada há 50 anos, nunca havia passado por processos de modernização ou eficiência.

Em junho de 2014, o governador marcou o processo de licitação para as obras de modernização da mineradora. “Todo o processo é demorado porque envolve uma série de trâmites legais, mas agora, as obras começarão e a ameaça de fechamento está totalmente afastada, o que garante os empregos, além do equilíbrio financeiro de Figueira e região”, comemora o deputado.

O prefeito Garcia, entende que as melhorias são necessárias. “Buscamos apoio e o encontramos no deputado Pedro Lupion e no governador Beto Richa. Eles entenderam as sérias implicações que o fechamento da usina poderia trazer ao nosso município, e região. Hoje comemoramos o resultado de um trabalho em conjunto. Serão aplicados R$ 118 milhões na modernização da usina. Com isso todas as cidades da abrangência da Associação dos Municípios do Norte Pioneiro (Amunorpi)tirar a virgula saem ganhando”, salienta.

A história – De acordo com o site da Copel (www.copel.com) a Usina Termelétrica de Figueira foi fundada em 1963 com duas caldeiras e dois grupos geradores, e a segunda em 1966 com a instalação da caldeira 3. Em 1969 a Copel adquiriu a Utelfa, e em 1974 instalou o terceiro grupo. Em 1986 foi desmobilizado o grupo gerador. Em 1997 a operação e a manutenção da usina foram terceirizadas, sendo executadas atualmente pela Companhia Carbonífera do Cambuí, que também é responsável pelo fornecimento do carvão consumido na planta.

Outras conquistas que serão anunciadas para Figueira:

Sanepar:
– 5 mil metros de rede de extensão de esgoto.

Agricultura:
– 01 trator de 75 CV Traçado 4×4 Cabinado com ar condicionado
– 01 carreta basculante

Saúde:
– 01 ambulância ( R$ 130.000,00) – já entregue
– 2º parcela da reforma do hospital municipal no valor de R$ 64 mil reais, totalizando R$ 490.000,00
– Construção da UBS rural no valor de R$ 146.700,00 obra em execução.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *