Lupion lidera base do governo para derrubar convocações de ministros

Durante sessão realizada nesta quarta-feira (12), estavam previstos requerimentos de convocação dos ministros da Justiça, Sérgio Moro, da Infraestrutura, Tarcício Freitas, e do meio Ambiente, Ricardo Salles.

 

Lupion e o deputado Zé Mário (DEM-GO), sentados à frente, utilizaram o chamado “kit obstrução”, com o emprego do regimento interno da Câmara, para evitar que houvesse quórum para votações.

 

“Não tem moleque aqui! Ninguém está brincando de ser deputado. Nunca espere que a base de apoio do governo Bolsonaro aceite um ministro vir convocado, à base de vara, para esta casa”, disse o vice-líder.

 

Como não havia quórum para votar o requerimento de adiamento da discussão, a sessão foi encerrada pelo presidente Rodrigo Agostinho (PSB-SP).

 

 

Oposição

 

 

Durante a sessão, Pedro Lupion foi questionado pela deputada federal Fernanda Melchionna (PSOL-RS), sobre a ausência de ministros que estavam com datas previstas, como Ricardo Salles, em ocasiões anteriores. O democrata disse que a praxe era se realizar convites aos ministros, mas não convocações, e que as datas de ida dos chefes de pastas do governo às comissões temáticas poderiam ser negociadas.

 

“Não existe óbice algum de haver um convite, mas não existe, em sã consciência, de qualquer base de apoio ao governo, aceitar convocação de ministro. Isso nunca vai acontecer”, afirmou o deputado.

 

 

 

Ele lembrou, ainda que a obstrução de votações é um instrumento empregado por partidos de oposição nos colegiados da Casa. “Me surpreende a oposição reclamar da possibilidade de fazermos obstrução em uma comissão em que somos minoria. É o que vocês fazem em todas as comissões daqui”, finalizou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *